Segundo uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), aproximadamente 60% dos brasileiros estão endividados, 24% possuem contas atrasadas e 10% não conseguirão pagar as dívidas. Com isso, é perceptível que quando falamos de dívidas não existe mágica nem milagre que faça você se livrar delas rapidamente. Sendo que, em algum desses casos o débito pode ser três vezes maior do que a renda mensal do devedor, podendo ocasionar na desistência da quitação.

As dívidas tanto quanto seus valores, são como bolas de neve que quanto mais tempo passa maior ela fica e mais se acumula, sendo cada vez mais difícil sua solução. Porém, são nesses casos que mais precisamos nos empenhar, ter disciplina e não abandonar nossos compromissos.

Por esse motivo, listamos 6 passos para você não fazer parte desses 10%, fugir do restante das opções e entrar para o time que não se encaixa em nenhuma das alternativas acima:

  1. Primeiro passo: ADMINISTRAR SEUS GASTOS

Anote todas suas despesas. Crie esse hábito para controlar suas finanças pessoais, sabendo exatamente para onde seu dinheiro está indo. Separe seus gastos em duas partes: a primeira contendo o que é essencial e a segunda com o que não é essencial.

A primeira parte consiste no consumo que é obrigatório em sua vida, como comida, conta de luz, água, aluguel, gás e outras despesas que são suas prioridades. Verifique se não tem como diminuir, pode ser tomando um banho mais rápido, apagando as luzes quando não estão sendo utilizadas, mas também pode ser a troca de um alimento mais caro por outro mais em conta. Pode ter certeza que esses pequenos atos ajudam muito quando colocamos tudo no papel.

Já a segunda parte se constitui por coisas “supérfluas”, que não são fundamentais em sua vida, mas que te trazem uma pequena satisfação. Como em um dia de trabalho comer fora ao em vez de levar marmita, comprar uma roupa que naquele momento não é necessária e até um cafezinho ou uma bala que você compra no dia a dia. As compras por impulsos são os maiores inimigos. Nesse caso, é preciso se perguntar se realmente é algo indispensável e tentar ao máximo diminuí-los. Caso não consiga, estabeleça um valor para utilizar somente para isso, sem ultrapassá-lo.

Assim, terá o comando de tudo, delimitando um limite para seus gastos diários e mensais, administrando e economizando como puder.

  • Segundo passo: ELIMINE AS DÍVIDAS COM OS MAIORES JUROS PRIMEIRO

Dê prioridade para as dívidas com taxas de juros maiores, pois elas podem ser as principais causas de outros endividamentos. Faça uma lista com um ranking de todas pendências para conseguir visualizá-las e coloca-las em ordem de importância, evitando que as de valores maiores continuem crescendo.

Dessa forma, terá um controle de quais precisam ser pagas primeiro e quais ainda estão pendentes, para se organizar, com paciência e foco para quitar tudo.

  • Terceiro passo: NEGOCIE ANTES DE FECHAR O ACORDO

Verifique se o valor passado está de acordo com as taxas de juros, estabeleça uma proposta, mas esteja aberto a negociações. Veja se realizando o pagamento à vista conseguirá um desconto maior, caso não consiga ache um valor que parcelado caiba nas suas condições sem causar outras dívidas e te afetar negativamente. Tente realizar o pagamento o quanto antes para não acumular o valor dos juros e da multa.

Por fim, não podemos esquecer de antes de tudo em qualquer compra fazer a comparação dos valores para conseguir a melhor proposta. Você pode acompanhar mais dicas de negociações clicando aqui (link dicas de negociações).

  • Quarto passo: PROCURE RENDAS EXTRAS

Busque outros meios de conseguir um valor extra para complementar sua renda mensal.

Procure trabalhos que tenha familiaridade. Como por exemplo: trabalhar como motorista particular de final de semana, dar aulas particulares dependendo sua especialização, criação de produtos artesanais, freelancers e até a venda produtos que não são mais utilizados por você (nessas horas a internet pode ser uma ótima aliada), entre outros diversos “bicos” que podem te ajudar.

Deste modo, será mais fácil colocar em ordem todas as contas e fechar com saldo positivo no final do mês.

  • Quinto passo: RESERVE UM VALOR

Mais uma vez faça a conta do valor gasto mensalmente, mas agora encaixe o que irá guardar: pode ser na poupança, tesouro direto e outros modos de investimentos. Não se preocupe, não precisa ser um valor alto. Você pode aumentar o valor investido gradativamente e conforme for diminuindo suas dívidas.

É de extrema importância conseguir guardar uma parte do seu dinheiro para a quitação de suas vidas, de preferência à vista. Porém, também é necessário para casos emergenciais, até porque nunca sabemos quando um imprevisto pode ocorrer.

  • Sexto passo: AUTOAVALIAÇÃO E APRENDIZADO

Reveja todos os seus passos e faça uma reflexão do que é necessário para não cometer os mesmos erros. Feito isso, você conseguirá se preparar e concluir todos os passos acima.

Procure se manter sempre atualizado, aumentando seus conhecimentos em educação financeira para além de reorganizar sua vida monetária, também atingir todas suas metas, tanto pessoais quanto profissionais. Aqui no Salva Dívidas os conteúdos são disponibilizados gratuitamente e você pode ter acesso aos e-books e vídeos.