Se você está ou já esteve em apuros financeiros e com parcelas em atraso, sabe que transferir o financiamento para outra pessoa é uma solução que está no top 5 na hora de ter que decidir o que fazer, não é mesmo?

Com o alto índice de desemprego no país, ter problemas ao arcar com contas mensais se tornou algo comum no dia a dia da população. Ter o nome em restrição, verificar o score na hora de realizar uma compra ou ficar recebendo ligações de cobrança o dia todo são circunstâncias que incomodam, mas se você parar para pensar, até seu vizinho pode estar passando por isso.

Assim como qualquer contrato, em um financiamento a responsabilidade se torna extremamente importante. Isso se deve ao fato de que, caso não aja o correspondente ao acordado, todo o processo de quitação, antecipação do pagamento das parcelas ou transferência do titular, se torne desgastante e incômodo.

Mas afinal, eu posso ou não passar o meu financiamento para outra pessoa?

Na realidade, não há uma resposta correta. Isso dependerá simplesmente das condições do novo devedor, de como ele irá arcar com a dívida e se o seu contrato está dentro de todas as exigências para a transferência.

Ao se deparar com uma situação que você não consegue mais lidar com o que fora assinado, é importante que, de primeiro momento, o banco seja procurado, ou seja, é essencial explicar ao credor o motivo de transferir a dívida para outra pessoa.

Além disso, é importante estar ciente de todo o processo para não ter surpresas futuras e não ter dúvidas na hora de tomar a decisão.

Então como transferir o financiamento do carro?

Em primeiro lugar é importante deixar claro que essa transferência só pode ocorrer entre pessoas físicas ou entre pessoas jurídicas. Além disso, o repasse exige uma quantidade mínima de prestações que já tenham sido pagas.

O credor irá avaliar toda a situação, principalmente o histórico de crédito e a capacidade financeira da pessoa que vai assumir as parcelas, solicitando os mesmos documentos do ato da compra do veículo.

É importante saber também de alguns pontos antes de prosseguir com o processo. São eles;

  • Não são todas as instituições financeiras e nem todos os tipos de financiamento permitem esse tipo de transferência
  • Estar ciente que essa troca envolve pagamento de tarifas e respeito a regras
  • O credor não é obrigado a aceitar
  • Ficar atento aos pré-requisitos

Assim que tudo estiver regularizado, você conseguirá fazer a transmissão do financiamento do veículo para outra pessoa.

Mas eu fiz a transferência e continuam me ligando, e agora?

Como dito acima, os bancos nem sempre aprovam que o financiamento seja passado de uma pessoa a outra e ainda pode ocorrer da transferência não ter sido realizada efetivamente e legalmente pelo banco.

Imagine a seguinte situação:

Jorge morava em Mariporã e precisava muito de um carro para usar como ferramenta de trabalho para ir a São Paulo, então decidiu comprar o veículo parcelando em 48 vezes. Ele estava pagando tudo em dia, até que infelizmente ficou desempregado e não conseguiu mais arcar mais com o financiamento. Tendo em vista sua situação, ele resolveu vender o carro a seu vizinho, que arcaria com saldo devedor e com os custos da utilização do veículo.

O que Jorge não sabia era que mesmo vendendo seu carro ao vizinho, sem notificar o banco, a dívida não sairia do seu nome, então ele continuou sendo cobrado pelas assessorias de cobranças.

Ao receber as cobranças, Jorge achou indevido e resolveu reclamar ao banco. Mas soube que, para o contrato ser efetivamente transferido para o nome de outra pessoa, há todo o processo de entrega de documentos, regularização do contrato, além da avaliação do novo devedor pelo banco.

E agora?

Bom, nesse momento o ideal é entrar em contato com o banco para negociar da melhor forma caso ainda tenha algum valor em aberto. Após quitar a dívida e o contrato estiver em dia, será possível prosseguir para os próximos passos, ou seja, o banco avaliar se o devedor tem condições de arcar com o financiamento e os documentos serem entregues.

Esse é somente um dos diversos casos que acontecem diariamente e que as pessoas, por falta de informação, acabam passando. E para que você não entre nessa estatística, é importante se atentar em como irá parcelar, para quem deve transferir o financiamento, quais os erros mais cometidos ao financiar um carro e a melhor forma de negociar seu débito.

Então sim, é possível passar seu financiamento para outra pessoa, desde que você tenha ciência de todos os processos citados. Isso fará com que você transfira sua dívida e consiga normalizar sua situação, podendo utilizar a educação financeira como ponto de apoio nessa nova etapa.

Gostou desse post? Fique por dentro desse e mais assuntos que estaremos atualizando aqui no blog. Leia também Por que cada hora tem uma empresa me cobrando