Esse é o primeiro questionamento que você deve fazer a si mesmo quando se deparar com a dívida. As taxas e juros que correm no Brasil não é novidade para ninguém, o que precisamos é saber como lidar com o acúmulo desses encargos.

Tenha em mente que deixar para depois só piorará a situação, sendo assim se programe para entrar em contato com o credor o quanto antes para negociar o que há em aberto.

Comece pegando uma caneta e um papel para se organizar. Coloque na ponta do lápis todos os seus gastos fixos, para ter clareza dos valores que conseguirá arcar. Isso é importante porque quando você negocia seu débito e quebra o acordo, esse registro fica em seu histórico, consequentemente o banco já entende que você possui uma tendência maior a romper com seus acordos, deixando assim opções mais restritas para seu contrato em negociações futuras.

É importante que você revise seu contrato, para não ter mais surpresas, entenda os pontos principais e use-os durante a negociação. Ter o auxilio de alguém especializado é realmente necessário quando você mesmo pode buscar entender basicamente as vertentes principais e suas conseqüências?

Lembre-se de que existem individualidades de contratos para contratos, então comparar com seu colega de trabalho ou vizinho às negociações e condições do seu débito é praticamente impossível. Cada acordo tem porcentagens de juros e taxas diferentes, e as condições de parcelamento e descontos também variam, e como dito anteriormente o seu histórico com certeza influenciará diretamente nesses pontos.

A maneira como você apresenta seus argumentos também influenciará nos resultados. Ser sincero e realista esclarecendo os motivos que fizeram você chegar ali ajudará na negociação. Manter um contato constante com a financeira, deixando claro que é de seu interesse resolver da melhor forma aquela pendência facilitará, lembre sempre de propor contrapropostas razoáveis á sua dívida.

Alguns escritórios de cobrança e bancos já filtram ou fazem por completo as negociações usando robôs, se esse for o caso entenda que aquela ferramenta está ali para auxiliá-lo da melhor forma filtrando os pontos principais, sendo assim use sempre palavras simples e que possam ser entendidas facilmente, porque esses sistemas utilizam de programações que relacionam o conteúdo disponível com o que você disser no momento, assim disponibilizando o que julga ser sua necessidade.

Caso vá negociar diretamente com uma pessoa saiba que ela está ali também já com limites pré-impostos pelo próprio sistema e financeira responsável, ou seja, sua gama de argumentos também já está bem preparada e posicionada, até porque aquilo é algo comum ao seu cotidiano. Lembre-se que a pessoa que está negociando com você também possui gestores que podem ou não aprovar sua proposta. Então busque de maneira simples e clara explicar sua atual posição, assim ela poderá atendê-lo da melhor forma ou encaminhá-lo para o caminho mais adequado. 

Uma dica é você estabelecer uma “âncora”, de maneira simples ela será a sua base de gastos, estará ali para você lembrar-se do que pode arcar, ela deve ser respeitada depois de estabelecida para não surgir surpresas pelo caminho. Depois de ter estabelecido seus gastos mensais fixos e também aqueles variáveis que você sabe que sempre surgiriam saiba que abrir mão de alguns costumes é inevitável, mas tenha em mente que as consequências serão recompensadoras.

Algumas pessoas defendem que para todas as situações existe um “jeitinho brasileiro” para lidar, ou seja, um escape, algo que sempre estará como última das opções e geralmente essa saída depende de alguém para quebrar alguma regra. Já descarte essa opção. Você deve sim ter uma opções fora da mesa de negociação, mas que não o leve para mais fundo. Pense em algo que não o prejudicará em longo prazo, ao mesmo tempo em que seja funcional e realmente traga benefícios.

Por mais que eu escreva várias dicas de como começar, desenvolver e finalizar uma negociação elas nunca serão uma fórmula pronta e perfeita que funcionará em toda e qualquer situação, isso porque em cada caso existem condições diferentes, e cada contrato contém determinadas cláusulas, então se prepare da melhor forma, consuma conteúdos que o ajudem, mas não fique engessado dentro daquela montanha de coisas que se deve ou não fazer, vá tranquilo e seja paciente para não cair em um mau negócio.

Leia também Minha dívida está paga, por que estão me cobrando?